Um ser inexistente

07:26:00


Frio. A pele pálida, fria, gelada, sem vida.
A boca arroxeada,
pulmões não se contraem,
as mãos estão geladas,
olhos não se abrem,
os cabelos já não brilham,
o coração já não bate.

Mas antes já estava morto.
Antes da morte física.

Ninguém se deu conta.
Estava morrendo,
estavam matando.

E não estava presente,
não estava aqui,
não perante as outras pessoas.

Não existia.
Jamais existiu.

O preto sempre o vestiu bem.
O luto sempre foi seu amigo.
A morte, a porta de saída,
de um mundo que jamais habitou.



-Daiane C. Silveira 

You Might Also Like

2 comentários

  1. Que viagem triste e fria. Se eu pidesse escolher uma música para este lindo poema escolheria Cold (The Cure)
    "Everthing is cold as life..."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hmmm interessante... Vou escutar essa música...

      Excluir

Estarei respondendo em breve ♥

About me

Todos os textos assinados com "Daiane C Silveira", são escritos por mim, assim sendo, não podem ser copiados a menos que se identifique o autor.
Não copie isso é CRIME!

TOTAL DE VISUALIZAÇÕES DA PÁGINA

CRÉDITOS

Algumas imagens aqui utilizadas não são de minha autoria. Nesse momento: A imagem da página contato, e o layout. O autor do template consta no rodapé, e o autor da fotografia não encontrei o nome para dar-lhe o devido crédito.
-Daiane C Silveira